segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Cinquenta Tons Mais Escuros – E. L. James

image- Ficha Técnica:

- Título Original: Fifty Shades Darker

- Sinopse: Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

- Nota: image

Obs: Para quem não leu o primeiro livro, pode conter spoilers.

Quem me acompanha nas redes sociais, sabe que eu estava com grandes expectativas para o primeiro livro da série, 50 Tons de Cinza. De fato, tentei me manter impassível diante de tantas críticas ao livro, justamente pela minha empolgação de ver que as editoras, por fim, decidiram dar atenção ao gênero romance erótico e trazê-lo para o Brasil. Minha deusa interior deu pulinhos de alegria e vibrou como uma criança no natal. (ah, vai, foi engraçado).

Me decepcionei. Infelizmente, a leitura não foi o que eu esperava. Pulei várias páginas, avancei outras, demorei a ler… Não é que a história seja em si toda ruim, mas a escrita de E.L James me pareceu amadora de mais e sem nenhum toque de correção de um revisor, editor ou o que fosse. Repetições demasiada de palavras, trechos “truncados”, furos na história e a tal da “deusa interior” aparecendo mais vezes que todos os personagens secundários juntos, se duvidar. No primeiro livro, 50 Tons de Cinza, tive a impressão que a autora simplesmente alterou o nome dos personagens de sua fan fic e jogou-a no livro da forma como estava.

Ainda assim, eu continuei atraída pela história. Grey é adepto ao BDSM (sigla para a expressão Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Sadomasoquismo). Bilionário e sedutor, ele se encanta pela desengonçada Anastasia Steele. No primeiro livro, Ana não soube lidar com seu estilo de vida, e os dois rompem o namoro.

Agora, vem cá E. L. James… 3 dias? Eles terminam o namoro durante 3 dias, e o Grey sofre tudo aquilo? Teria sido mais plausível 1 mês, até uma semana. Mas 3 dias?!!! Hunf…

Mesmo com o término do namoro, eles não conseguem ficar longe. (3 dias… ai meu…) Grey então propõe que eles voltem e tentem um relacionamento normal, ou seja, sem sexo BDSM (também conhecido como sexo baunilha). Ana aceita, embora parte dela esteja insegura de que aquilo daria certo. Afinal, trata-se do Christian Grey, perturbado, belo e que viveu toda uma vida com um estilo de vida do qual é difícil se desprender e, até certo ponto, faz parte de quem ele é.

A história em si não possui uma trama central, mas pequenas tramas que se desenvolvem com o passar das páginas. Além de acompanharmos as crônicas cotidianas do casal - e isso inclui cenas de sexo, brigas, conversas amigáveis, troca de carinho e momentos de descontração –, temos uma ex-submissa de Christian que está perseguindo Ana, além de seu novo chefe na editora, Jack, que claramente possui segundas intenções. Esses dois últimos são dão o toque de suspense ao livro que, em comparação ao primeiro, dá impressão de melhor escrito, com leitura mais dinâmica e fluída.

A personagem Ana também está melhor. Ela deixa um pouco os traços desajeitados de Bella Swan, ainda que temos o velho papo de “eu não sou boa o suficiente para você” mas, nesse caso, é até mais compreensível. Nesse livro a personagem tem amostras do quanto Grey está ligado ao BDSM, e uma relação normal faz com que ela se sinta muito insegura. Entretanto, Ana ganha mais voz, e ela se impõe contra as opiniões de Grey e seus ataques de ciúmes sempre que necessário. As discussões são ótimas, bem como as cenas de reconciliação. :)

Sua deusa interior – ah, o que dizer? Os que odiaram no primeiro livro, talvez continuarão odiando. Mas entre nós, sabe que eu gostei? Ela apareceu em vários momentos “flash”, e até me diverti com suas exibições de tango, drama e outras encenações.

Grey também está diferente nesse livro. Quem lê esperando encontrar cenas e mais cenas de sexo com BDSM, vai se decepcionar. As cenas de sexo não são mais do que aquelas que estamos acostumadas a ler em romances de banca. O foco do livro é o romance e a superação do casal. O milionário vai aos poucos se acostumando com o toque de Ana, as cenas descrevendo todo o processo são bonitas e sempre trazem lágrimas aos olhos dos personagens. (já falei que acho uma fofura o mocinho do livro chorar?) Ana é, como todos sabem, o seu “bálsamo para a salvação”.

Acho que a autora conseguiu atingir seu pronto principal: mostrar, de fato, o que seria os cinquenta tons de Grey, coisa que não consegui ver no livro anterior. Enquanto lia, vi o Grey carismático, o Grey “crianção”, o Grey furioso, o ciumento, o que tenta lidar com seu passado, o que tem medo do futuro, o que é apaixonado por Ana… enfim, foram 50 Tons ao longo do livro, que me fizeram entrar na torcida para que ele consiga se livrar dos “demônios pessoais” e ficar bem com a Ana. Sim, virei fã de carteirinha do Grey.

A história ainda tem alguns pontos fracos, mas a leitura foi tão prazerosa que conseguiu se sobressair aos defeitos. As vezes é bom darmos uma segunda chance a uma história que não gostamos de início, como foi meu caso. Espero ansiosa que o terceiro consiga ser ainda melhor. Adorei e recomendo. :)

Capa original:

image

 

Abaixo, segue o trailer de um “filme idependente” sobre a história. Já há dois vídeos disponíveis no youtube, no canal da produtora. (o filme tem como direção Nicholas Acosta)

image

Um comentário:

  1. Eu simplismente acho a Ana um Pé no saco desde o primeiro livro.Também achei muito brusca a mudança de comportamento da personagem de um livro para o outro,no primeiro livro ela é uma chata insegura,no segundo ela é uma chata-insegura e insolente,se achando com o poder nas mãos e fazendo de Grey o que bem quer,que cena foi aquela de cair em posição submissa para Ana?

    Devo admitir a história me prendeu até quase o fim do segundo,quando já comecei a ficar enjoada e agora luto para terminar o terceiro.Pórém,recomendo por causa de Grey,pois ele é apaixonaante demais! rsrs!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, de sua opinião, ela é muito importante!

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.
- Se você quiser deixar seu endereço de blog ou site, comente usando a opção OpenID. Comentários com URL não serão mais aceitos.
- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog.
- Comentários ANÔNIMOS não serão mais aceitos. Use a opção Nome/URL

Lendo:

Outros

Pesquisa:

Arquivo:

 

Supreme Romance | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates